ESPECIAL #16: VOCÊ SABIA? MEG CABOT

01/02/2018


UM SONHO DE PRINCESA

ESPECIAL #16


Meg Cabot é a personificação da tão famigerada frase "meu sonho de princesa".­ Graças a ela, milhares de leitores mundo afora passaram boa parte de sua adolescência - essa que vos fala, inclusive - ansiando pelo momento em que a sua avó distante apareceria para uma visita casual e revelaria que, na verdade, você é uma princesa e deve se preparar para governar Genóvia.

Cabot nasceu em Bloomington, Indiana, em 1 de fevereiro de 1967. Comemora hoje seu aniversário de 51 anos. Apesar de atualmente morar em Key West, na Florida, a autora já viveu em Nova Iorque, em Grenoble, na França, e em Carmel, na Califórnia; lugar esse que a autora fez de cenário para a sua série A Mediadora.

Meg Cabot é formada em Artes pela Universidade de Indiana. Quando questionada sobre o porquê de não estudar escrita - uma vez que essa era sua verdadeira paixão -, a autora conta sobre um homem aleatório que conheceu em uma festa. Enquanto estava no Ensino Médio, foi advertida a não estudar escrita criativa, porque, como ele afirmou, a opinião que tinha era de que o curso sugava de você todo o amor que poderia continuar nutrindo por essa atividade e, por ser um estudante da área, sabia disso melhor do que ninguém. Como ela não queria perder o amor que tanto cultivava, seguiu o conselho. Segundo Cabot, o curso de artes acabou sugando todo o amor que sentia pelas artes, o que, de certo modo, confirmou o conselho que recebeu. Mesmo não fazendo um curso especializado, ela participou de alguns workshops de escrita criativa na Universidade de Indiana, que lhe foram muito produtivos.

Anos depois, com o seu diploma em mãos, Cabot se mudou para Nova Iorque, lugar no qual esperava seguir carreira como ilustradora autônoma. Contudo, o seu amor pela escrita logo falou mais alto. Abandonando sua carreira, a autora conseguiu um emprego como assistente administrativa em um alojamento de estudantes universitários na Universidade de Nova Iorque, escrevendo sempre que tinha a oportunidade.

Durante seu período em Nova Iorque, Meg reencontrou o homem que lhe aconselhou a não estudar escrita criativa. Seu nome era Benjamin D. Egnatz, um poeta e escritor financeiro. Eles se casaram logo depois, em 1 de abril de 1993, o "April Fool´s Day" (Dia dos Tolos; ou Dia da Mentira, como é conhecido no Brasil). A escolha da data foi uma brincadeira de Meg, pois seu marido tinha uma crença de que só os tolos se casavam. O casamento ocorreu durante uma fuga para a Itália, e o romance Todo Garoto Tem é vagamente inspirado nessa história.

A carreira da escritora começou em 1998, com 30 anos de idade, quando ela publicou seu primeiro romance histórico para adultos, chamado Where Roses Grow Wild (Onde as rosas crescem selvagens, em tradução livre), que foi publicado sob o pseudônimo de Patricia Cabot. Segundo a autora, ela não usou seu verdadeiro nome porque não queria que sua avó soubesse que estava escrevendo livros com conteúdo erótico.

Enquanto ainda trabalhava como assistente administrativa, Meg Cabot começou a escrever The Princess Diaries, ou "O diário da Princesa", como foi traduzido no Brasil. Seu primeiro livro, que dá nome à série, foi rejeitado por todas as editoras da América do Norte, exceto pela Avon/Harper Collins. A história de Mia começou a ser publicada em 2000 e se tornou uma série de onze livros, que terminou de ser publicada em 2015. Depois disso, a série ganhou mais dois livros, agora ilustrados, que contam a história de Olivia Grace Clarisse Harrison, a irmã perdida de Mia.

A série de livros foi publicada em mais de 40 países e vendeu milhões de cópias; um milhão delas apenas no Brasil. Em 2001, a Disney adaptou o primeiro livro para o cinema, sendo produzido pela cantora e atriz Whitney Houston e dirigido por Garry Marshall. O elenco contava com Anne Hathaway - sua estreia no cinema - como Mia Thermopolis e Julie Andrews como Clarisse Renaldi. O filme foi um sucesso de bilheteria, o que garantiu sua sequência, "O diário da Princesa 2: O casamento real", lançado em 2004, onde Chris Pine fez sua estreia no cinema, como Lord Nicholas Devereaux. Apesar de não ser baseado em nenhum dos livros e ter sido escrito pela renomada Shonda Rimes, a sequência não teve o mesmo sucesso do primeiro filme.

Na série de livros, Mia escreve o seu próprio livro, um romance histórico. O livro se chama Ransom My Heart, ou "Liberte meu coração", como foi traduzido no Brasil, e foi publicado originalmente em 2009. A personagem é listada como a autora do livro, com a ajuda de Meg Cabot, sua coautora. Um presente para todos os fãs da série que se sentem ainda mais próximos de Mia. Todos os lucros do livro são doados ao Greenpeace.

Hoje em dia, Meg Cabot coleciona uma obra de cerca de 80 livros publicados, com livros para jovens e adultos. E ela continua muito ativa! Alguns lançamentos, continuações de suas inúmeras séries, são esperados para este e para o próximo ano. Seu segredo para escrever tanto? Ela sofre de insônia.

A autora coleciona inúmeros prêmios e gosta muito de incentivar novos autores. Por isso, já foi jurada em algumas premiações e seu site conta com dicas de escrita. Além disso, ela se mantém conectada com seus fãs através de um diário - também disponível em seu site - que conta com atualizações frequentes e que ela mantém desde 2003. Esse diário também pode ser considerado uma parte importante de sua obra. Seu registro sobre o dia 11 de setembro de 2001 - dia do ataque terrorista ao World Trade Center - foi incorporado por muitos professores ao material de estudo sobre o trágico dia. A autora morava próximo às torres gêmeas, tanto que podia vê-las de sua janela, e seu marido trabalhava do outro da rua. O relato é angustiante e passa com muita clareza o desespero que tomou conta de Nova Iorque naquele dia. O tom sombrio é o oposto do que se encontra nas obras da autora, mas transmite seu talento com as palavras e como todas as experiências, tanto positivas quanto negativas, influenciam a escritora.

A revista literária Booklist já classificou Meg Cabot como "mestre em entreter e divertir leitores". Contudo, a autora considera sua maior conquista na escrita que seus fãs a consideram sua principal "leitura de conforto". Os livros da autora são perfeitos para transportar o leitor para um lugar mais tranquilo e acolhedor. Ler seus livros é como receber um abraço.

A escrita leve, divertida e pontual da autora é o que faz com que ela seja tão amada por seus fãs, o que a permitiu criar tantas histórias incríveis e que serão lembradas para sempre.

Feliz aniversário, Meg Cabot.

Obrigada por todos os meus sonhos de princesa.